CabelosTutoriais e Receitas

O poder do Óleo de Rícino

óleo de Rícino (mamona) para cabelos

Hoje, ao invés de escolhermos mais uma receita, optamos por falar de um ingrediente coringa no tratamento dos cabelos e que tem diversas maneiras de utilização: o Óleo de Rícino, também conhecido como óleo de mamona. Sim, ele é mega conhecido por suas funções de tratamento, umectação profunda e estímulo do “crescimento” dos fios.

óleo de Rícino (mamona) para cabelos

Como será que, de fato, o óleo de rícino age? Para que serve? Dá para usar de qualquer jeito? Calma! Vamos tirar essas e outras dúvidas para que você saiba tudo sobre esse queridinho e como você pode obter o máximo benefício dele.

O que é e para que é indicado o óleo de rícino?

O Óleo de Rícino é extraído das sementes de mamona, que é uma planta muito comum e abundante no Brasil. Porém, há de se tomar cuidado, pois a semente da mamona pode ser tóxica.

Em linhas gerais, são inúmeras as indicações do óleo de mamona. O produto, por ser 100% natural, é utilizado tanto via oral quanto uso tópico. Ok, por via oral é um martírio, já que tem um gosto extremamente amargo e bem difícil de engolir, mas vamos conhecer os seus usos mais comuns:

  • Anti-inflamatório;
  • Antioxidante;
  • Tratamento de inflamações e irritações do sistema digestivo;
  • Como complemento no tratamento de Artrites e demais inflamações nas articulações;
  • Auxílio no tratamento da acne;
  • Fortalecimento e crescimento de cabelos e unhas;
  • Combate da caspa, seborreia, inflamações no couro cabeludo, dermatites seborreicas (e até piolho);
  • Combate da queda / quebra dos cabelos;
  • Encorpamento os fios e fortalece o bulbo capilar;
  • Nutrição profunda e selagem das cutículas da fibra capilar;
  • Nutrição e tratamento de erosões e inflamações da pele.

Deu para perceber que o rícino é o tipo de produto para usar e abusar, né? Por ser natural e multiuso, vale a pena ter sempre à mão para quaisquer emergências. Agora vamos focar no uso cosmético deste ingrediente? Vamos!

óleo de Rícino (mamona) para cabelos
Mamonas ao natural.

Teste essas formas de utilização cosmética

1 – Umectação revitalizante do couro cabeludo (massagem para estimular o crescimento capilar)

umectação

O óleo de rícino, por causa de sua espessura e viscosidade, é difícil de ser aplicado sozinho. Sua espalhabilidade é bem trabalhosa, porém, você pode aquecer por uns segundos no microondas até que ele fique mais fluido. É ideal para fazer massagens no couro cabeludo e realizar uma umectação fortificante, daquelas que deixa os fios bem encorpados (alô, cabelos finos!). A umectação com o óleo de rícino pode ser feita à noite e enxaguada pela manhã. Se você não gosta de dormir com cosméticos no cabelo, você pode, então, deixar em pausa por 2 horas (no mínimo) e após o tempo de ação, enxaguar. O resultado é de nutrição intensa, fios encorpados, fortes, brilhantes e com o “peso” equilibrado;

2 – Umectação (a clássica, no comprimento dos fios)

umectação clássica

Geralmente, quando se quer umectar e nutrir apenas os fios, sem necessariamente mexer no couro cabeludo, pode-se também utilizar esse óleo misturado a outros óleos 100% vegetais. Dentro de um mix ele fica igualmente potente e oferece os mesmos benefícios.

Uma dica de mix de óleos para esse tipo de umectação é “rícino + azeite de oliva + óleo de coco”. Essa combinação costuma ser imbatível no tratamento do ressecamento, porosidade, reposição de lipídeos, revitalização e brilho dos fios;

3 – Nutrição (no creme)

óleo no creme

Não tem segredo algum utilizar o rícino desta forma: basta misturar uma tampinha cheia do óleo em seu creme de tratamento preferido. Essa forma de uso serve tanto para dar uma turbinada na etapa de nutrição do seu cronograma capilar ou apenas para potencializar os efeitos da máscara. E potencializa mesmo! Misture e siga normalmente o passo a passo sugerido pelo fabricante, sem muitos truques;

4 – Como finalizador, técnica LOC

óleo de Rícino (mamona) para cabelos

O óleo de rícino não é necessariamente um óleo finalizador que dê para ser usado sozinho, portanto, como já dissemos, ele é bem denso e difícil de espalhar. Não podemos deixar de dizer que ele ainda tem mais um agravante: o cheiro. Muitas pessoas não suportam o cheiro do óleo de rícino, e é legal levar em consideração sua sensibilidade olfativa na hora de escolher algum produto de finalização. Porém, misturar umas gotinhas do rícino no creme de pentear (principalmente para quem é crespa ou cacheada) pode deixar a finalização dos cabelos uma coisa de outro mundo! A definição fica muito boa, os fios ficam brilhantes e nada pegajosos, já que ele é absorvido tranquilamente quando mesclado em produtos para pentear. Saiba mais sobre a técnica LOC, clique aqui.


O óleo de Rícino nas unhas e pele

O óleo de rícino, além de ser muito bom para os cabelos também pode ser utilizado na pele e unhas para promover a hidratação e proteção.

Ele pode ajudar a combater a acne promovendo efeito adstringente como também ajudar na re-hidratação de peles rígidas e/ou ressecadas. Além de tudo isso, ele é um ótimo cicatrizante natural!

Para usar na pele, é recomendado que sejam misturadas gotinhas do óleo em um creme para a pele.

Já nas unhas o óleo de rícino pode ser passado “puro”: ele vai ajudar na hidratação da cutícula e criar uma espécie de cama protetora para a unha, evitando que ela descasque.

Conclusão: o rícino é um óleo grosso, denso, um pouco chato de espalhar e com odor característico, mas… faz um trabalho de mestre! Vale super a pena o teste.

Beleza Simples: o Portal da Beleza Descomplicada!

Você também pode gostar de:

cachos de novela lançamento left cosméticos
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *