Cabelos

Corte químico: o que é e como recuperar?

Corte químico: só quem fez uma química nos fios (alisamento, tintura, permanente, etc) entende o desespero quando os fios começam a romper e cair, não é mesmo? A sensação é horrível e, na maioria das vezes, o primeiro pensamento é de apelar para a tesoura antes que o estrago seja maior.

O que chamamos de “corte químico” acontece por algumas razões pontuais. Antes de aderir ao corte mais curto para tentar contornar o problema, confira nossas dicas! Vamos lá?

O que é corte químico?

O corte químico, como o próprio nome sugere, é uma quebra severa que ocorre quando utilizamos alguma química incompatível nos fios. Em linhas gerais, ele acontece próximo à divisa que separa a parte natural dos cabelos da parte com química. Exemplo: se você faz alisamento (com henê ou dióxido de sódio) e aplica um produto à base de amônia por cima, a incompatibilidade deles levará o cabelo ao rompimento da fibra.

Previna-se contra o corte químico

O primeiro (e importantíssimo passo) é fazer teste de mechas (e a prova de toque) antes de aplicar qualquer química nos seus fios! No teste de mechas você terá ideia de como está sua saúde capilar e como os fios podem reagir com determinado produto.

Diferença entre QUEDA e QUEBRA

Muita gente confunde e acha que queda e quebra capilar é a mesma coisa, mas não, não é. Inclusive falamos bastante sobre queda dos cabelos, clique aqui para ler. Em resumo, a diferença é que na queda capilar o fio se “solta” por inteiro do couro cabeludo, enquanto na quebra, o fio se parte (rompe).

O corte químico só acontece quando há incompatibilidade entre produtos?

Não necessariamente. Se você abusa do uso de químicas e faz vários procedimentos (mesmo que eles sejam compatíveis entre si) em um espaço de tempo mais curto que o indicado, os fios podem romper!

Isso acontece por causa da fraqueza do fio e ausência de massa capilar suficiente para comportar a transformação. Ou seja: em cabelos frágeis, finos e fracos, um procedimento químico tende a ser muito mais agressivo e pode levar à quebra mais facilmente.

Como saber se minha queda é proveniente de corte químico?

Observe seus cabelos e tente identificar alguns “sintomas”. Claro que em casos muito extremos, o cabelo simplesmente cai, sai na mão mesmo! Você percebe que a reação foi severa e irreversível naquele momento. Porém, antes de chegar a esse ponto, é possível notar a mudança conforme os procedimentos são feitos. Então, veja se os fios:

  • estão com textura muito áspera após a química;
  • perderam o brilho e as pontas espigaram / ressecaram muito;
  • estão com estrutura elástica e emborrachada (quando puxa, estica);
  • quebram com muita facilidade e saem “desmanchando” nas mãos;
  • as pontas se tornam duplas ou triplas, partindo a haste ao meio com facilidade;
  • tem grande queda (a partir da raiz).

Uma vez observado esses sintomas, é hora de por a mão na massa para evitar maiores danos e, claro, tentar recuperar os cabelos.

como recuperar cabelo com corte químico

SOS Emergência! O que fazer na hora do corte químico severo?

Sentiu o cabelo partindo e caindo em uma quantidade absurda após realizar uma química? Antes de se desesperar, tente:

Vinagre de Maçã para cabelo com corte químico

Aplicação de vinagre de maçã: tão simples e muito poderoso! Ele ajuda a acidificar os fios e trazer de volta ao seu pH mais equilibrado. Em cabelo com corte químico, o vinagre de maçã pode agir como neutralizante, selando as cutículas e parando a ação do produto que por ventura ainda esteja nos cabelos.

Como usar o vinagre?

Para cada 200ml de água fria, adicione 4 colheres de vinagre e aplique após o uso do condicionador. Pause por 5 minutos e enxágue com água abundante, até total retirada do produto (e do cheiro); Tem mais diquinha sobre vinagre no cabelo aqui!

Reconstrução capilar hoje e sempre!

Reconstrução capilar poderosa: após o primeiro socorro com o vinagre de maçã, é hora de repor a massa do seu fio! Para isso, não abra mão de utilizar sua melhor máscara reconstrutora! A reconstrução capilar trará força e densidade, repondo a proteína essencial para a composição do cabelo (em geral, a queratina).

tratamento para quebra capilar com vinagre de maçã

Nada de fonte de calor!

Deixe os fios respirarem: tente não utilizar fonte de calor para finalizar os fios! Em um cabelo com corte químico, qualquer temperatura mais elevada pode reativar a ação da química e piorar a condição do cabelo danificado. É melhor deixar secador, chapinha, babyliss e afins de lado por um tempo;

O couro cabeludo

Cuide do seu couro cabeludo: um cabelo forte começa por uma raiz saudável. Quando o cabelo está danificado e em condição de corte químico, o couro cabeludo precisará de atenção. Isso significa que o bulbo precisa ser “desintoxicado” para produzir novos fios sem maiores problemas. É importante realizar tratamentos detox (veja sobre aqui), esfoliações, umectações (com óleo de rícino, por exemplo) e muita massagem para ativar a microcirculação sanguínea e estimular o crescimento saudável dos fios.

E como cuido dos cabelos depois?

Com um bom cronograma capilar! Sim: o cronograma capilar bem organizado e focado no tratamento de cabelos quimicamente transformados é a melhor alternativa para mantê-los saudáveis e fortes! Então, capriche na hidratação, nutrição e reconstrução dos seus cabelos (e leve para sua rotina fixa esse hábito).

Tabela Cronograma Capilar para Cabelos Muito Danificados

Já falamos por aqui sobre a rotina de cronograma capilar. Bom, você já sabe que ela é essencial para qualquer tipo de cabelo, mas, é ainda mais essencial para cabelos danificados ou muito danificados. Por isso, separamos essa tabela básica de cronograma capilar para você que sofreu com corte químico ou está com o cabelo muito danificado:

tabela básica cronograma capilar cabelo muito danificado ou com corte químico

O cabelo está praticamente recuperado… E agora: já posso voltar para minha química favorita?

É melhor não! Quando um cabelo entra em corte químico, o ideal é esperar que ele cresça o suficiente antes de outro procedimento. Isso porque, apesar do problema ter sido contornado, os fios ainda podem ter resíduos de químicas anteriores. Depois de tanto trabalho, é melhor buscar outras formas de manter as madeixas bonitas e preservar a saúde delas.

Mas e se eu fizer tudo isso e os fios não pararem de cair?

Se você fez tudo certinho e, mesmo assim, eles não pararam de quebrar ou cair, é hora de um dermatologista. Apenas um profissional qualificado ajudará na identificação das reais causas e indicação do produto certo (medicinal, não cosmético)!

E vocês, já passaram por situações extremas desse tipo? O que fizeram para resolver? Compartilhe suas dicas conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *